Em Porto Alegre: Secretaria alerta para locais mais procurados por urubus para fazer ninhos

Os meses que antecedem a estação das flores são o melhor período para revisar e providenciar o fechamento de aberturas como forros, portas de inspeção de caixas d'água e outras que fiquem no topo de prédios. Espaços como esses são os preferidos de urubus (Coragyps atratus) que, durante a primavera, estão em busca de locais para fazer ninhos e criar os filhotes.


Foto:Sergio Louruz / PMPA

Zona Norte, que possui maior quantidade de prédios altos, é a preferida das aves

A bióloga da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Urbanismo e Sustentabilidade (Smamus), Soraya Ribeiro, lembra que, após formado o ninho e colocados os ovos, deve-se esperar os filhotes ficarem independentes para retirá-los, pois correm o risco de não sobreviver. “Quem não quer ter esses inquilinos por no mínimo dois meses, deve providenciar o fechamento das aberturas”, orienta Soraya. Dados de atendimento da secretaria de 2008 a 2018 mostram que a região com maior número de ocorrências na Capital é a Zona Norte (52,62%), seguida do Centro Histórico (22,04%). Isso porque as duas regiões são os locais da cidade mais procurados pela ave para fazer ninho, sendo 35,64% na Zona Norte e 32,23% no Centro. “A Zona Norte possui maior quantidade de prédios altos, utilizados pelos animais para descanso e nidificação”, explica a bióloga e doutora em Diversidade e Manejo da Vida Silvestre. Normalmente utilizam floreiras, sacadas, vãos de prédios e churrasqueiras para fazer os ninhos. Nos últimos dez anos, os meses com maior ocorrência envolvendo urubus foram outubro (22,56%), novembro (22,82%) e dezembro (15,14%). Como se alimentam de carne em decomposição, essas aves são importantes devido à capacidade de manter o ambiente limpo, eliminando 95% das carcaças de animais mortos na natureza. São protegidas pela Lei de Crimes Ambientais (9.605/98), bem como seus ninhos e filhotes. Caso localize um urubu no telhado de sua residência ou prédio, não se assuste. Como se acasalam na primavera, pode haver ovos ou filhotes, sendo necessário que as aves adultas partam, o que ocorre após os filhotes aprenderem a voar. Se necessário, solicite vistoria do setor de Fauna Silvestre da Smamus pelos fones 156, 3289-7517 ou e-mail fauna.smams@portoalegre.rs.gov.br.


Vanessa Conte