top of page

Como acabar com ratos e ratazanas

Hoje você vai aprender como acabar com ratos e ratazanas no ambiente. É uma tarefa difícil, já que esses seres se destacam pela agilidade e pela esperteza de escapar das armadilhas. Ainda assim, trata-se de um esforço necessário. Isso porque os roedores têm um grande potencial de transmissão de doenças, o que os torna bastante perigosos. Fique conosco para saber mais.


Tipos de roedores considerados pragas urbanas Rato-preto, ratazana e camundongo são os três tipos de ratos considerados pragas urbanas. Fora os prejuízos materiais, eles transmitem doenças e sua proliferação é muito rápida. Por isso, a infestação deve ser contida o quanto antes. Confira a seguir, de forma resumida, a diferença entre eles. Ratazana (Rattus norvegicus) Pode ser chamada de rato de esgoto, embora também viva em outros locais úmidos e escuros, como os lixões. É o maior e o mais agressivo dos três tipos, podendo chegar a 50 cm de comprimento, considerando corpo e cauda. A principal diferença entre rato e ratazana é mesmo o tamanho. Além disso, essa última tem pelagem mais grossa. Ótima nadadora e de hábitos noturnos, a espécie passa a maior parte do tempo nas tubulações de esgoto. Para se alimentar, gosta de cereais, mas pode consumir os restos orgânicos que encontra em lixeiras. Rato-preto ou rato-de-telhado (Rattus rattus) O rato de telhado é o mais visto nas casas. Excelente escalador, pode se alojar em forros, sótãos, telhados, paredes ou buracos nos muros. Mede entre 15 e 20 cm e tem orelhas grandes. Para garantir seu sustento, esse rato infesta locais próximos a fontes de alimento: armazéns, depósitos, residências, entre outros. Rato-doméstico (Mus musculus) Também chamado de camundongo, ele mede cerca de 10 cm e tem orelhas grandes, arredondadas. O bicho é muito ativo – tanto que circula a maior parte da noite buscando comida. As colônias infestam o interior das edificações, sempre ficando a pouca distância da fonte de alimento. A preferência deles é por carnes e laticínios. Hábitos e comportamentos de ratos e ratazanas Como você viu, existem algumas diferenças básicas entre as espécies. Vale a pena reparar nisso para saber qual praga tem mais chances de invadir cada espaço. Acompanhe os exemplos: Alimentação Os roedores são onívoros, isto é, alimentam-se de qualquer tipo de comida disponível. Ainda assim, têm suas preferências. As ratazanas gostam mais de cereais, sendo uma possível ameaça a armazéns graneleiros. Já os ratos-domésticos preferem frutas e alimentos gordurosos. Abrigo As ratazanas vivem basicamente no esgoto, devido à umidade. Enquanto isso, o rato-preto e o rato-doméstico se alojam no interior das residências. O camundongo, inclusive, pode sobreviver algum tempo sem água. Reprodução O ciclo reprodutivo dos roedores é bem curto. Essas espécies atingem a maturidade em poucas semanas, e então já estão prontas para procriar. O problema se intensifica no verão, já que o metabolismo das pragas fica acelerado. O pior é que cada fêmea dá cerca de seis filhotes por ninhada – e pode parir até seis vezes por ano. Resumindo: a colônia tem tudo para crescer de maneira exponencial. Veja mais detalhes no artigo abaixo: Doenças transmitidas por ratos e ratazanas Ratos e ratazanas carregam parasitas nocivos. Estima-se que esses microrganismos sejam capazes de transmitir mais de 50 doenças aos seres humanos. Geralmente, o contágio acontece após contato com a urina de animais contaminados. Você também pode ficar doente se consumir algum alimento que tenha sido parcialmente roído pelos invasores. Conheça alguns sintomas de doenças transmitidas por ratos e ratazanas:

  • Leptospirose: dá diarreia, dores articulares e sensibilidade nos olhos, podendo ainda atacar fígado e rins.

  • Febre hemorrágica: o mal-estar generalizado vem junto a sangramentos na boca e no nariz.

  • Tifo: se caracteriza por febre alta e prolongada, cansaço extremo, tosse, náuseas e dor de cabeça intensa.

  • Salmonelose: provoca diarreia, vômitos e perda de apetite, além de mal-estar geral.

  • Hantavirose: pode causar febre, dores pelo corpo e sintomas gastrointestinais.

  • Peste bubônica (peste negra): o paciente fica com pulso acelerado, calafrios, febre alta e dores pelo corpo.

Como identificar uma infestação por ratos ou ratazanas A maior dificuldade para as pessoas identificarem a espécie de rato são os hábitos desses animais: eles evitam a exposição e o contato com os humanos, circulando mais à noite, por locais escondidos e protegidos. Nesses casos, uma equipe especializada em controle de ratos, também conhecido como desratização ou dedetização de ratos, consegue identificar os sinais que cada espécie deixa no ambiente. Assim é possível definir as melhores maneiras de combater a infestação. De qualquer modo, as principais pistas que os roedores deixam pelo caminho são bem conhecidas dos leigos. Elas incluem:

  • Roeduras;

  • Manchas;

  • Pegadas;

  • Fezes;

  • Barulhos;

  • Odores.

Para saber mais sobre esses indícios, leia nosso artigo que explica como reconhecer sinais de infestação por ratos. Mas, antes mesmo de identificar a espécie ou de descobrir como eliminar ratos e ratazanas, você pode adotar atitudes simples para evitar que a infestação se instale. É sobre isso que vamos falar na sequência. Em tempo: quem gerencia um negócio deve ter atenção redobrada. Para conhecer os principais sinais da existência de outras pragas urbanas, acesse o infográfico abaixo e descubra o que observar. Se você é dono ou gerencia um negócio, a atenção deve ser redobrada. Para conhecer os principais sinais da existência de outras pragas urbanas, acesse o infográfico abaixo e descubra o que observar. Como prevenir uma infestação de ratos ou ratazanas? Muita gente pensa em gatos como o inimigo natural dos ratos, mas não é bem assim. Felinos não caçam ratos com tanta eficácia, pois os roedores se escondem com facilidade quando notam predadores nos arredores. Dessa forma, passam mais tempo refugiados dentro do ninho. Isso não quer dizer que a infestação de ratos foi controlada! Na verdade, as criaturas apenas estão esperando a hora certa de agir. O que favorece a chegada dos ratos e a instalação do ninho é um conjunto de fatores, os 4 As do controle de pragas: acesso, abrigo, alimento e água. Confira medidas preventivas simples que você pode aplicar hoje mesmo:

  • Evite o acesso: instale grades nos ralos para evitar que ratazanas subam pelo encanamento.

  • Não dê abrigo: evite acumular entulho em depósitos, garagens ou pátios, já que servem de ninho para os ratos. Em paralelo, realize faxinas periódicas.

  • Corte o alimento: deposite o lixo em latões protegidos com tampa. Guarde os alimentos (inclusive ração de animais) em recipientes fechados.

  • Dificulte o acesso à água: faça a manutenção das caixa d’água e dos reservatórios. Ainda, conserte qualquer vazamento.

Lembre-se de que a comida é um ponto decisivo: a maioria das espécies se estabelece perto da fonte de alimento, o que também acelera a proliferação dos ratos.

Qual veneno usar para eliminar ratos? Dificilmente você vai conseguir matar rato com venenos comuns. Algumas substâncias vendidas ilegalmente, como o popular chumbinho, não têm eficácia comprovada como raticida, sendo apenas um agrotóxico contra pragas de lavouras. Falando nisso, o produto pode causar intoxicação grave nas pessoas ou nos animais de estimação. Outro fator que tira a eficácia dos venenos comuns é a inteligência dos ratos. Por exemplo, caso um membro da colônia adoeça após ingerir um alimento envenenado, os demais evitarão aquele produto. Em outras palavras, eles vão continuar vivos e à procura de opções mais saudáveis para seu sustento. Como eliminar ratos e ratazanas? Essa é uma missão para especialistas. Os profissionais de desratização realizam uma investigação técnica no local para identificar os focos de infestação. Depois disso, espalham iscas em pontos estratégicos para capturar os roedores.

A aplicação deve ser feita de maneira escalonada. Em geral, a imunizadora realiza três visitas com intervalo de 15 dias entre elas. Esse é o tempo para que os filhotes restantes atinjam a maturidade e deixem o ninho, o que facilita a captura dos invasores e interrompe o ciclo reprodutivo de vez.


Por

Jefferson Hoffmann Diretor da Desinservice, uma das empresas de maior referência no segmento de Saúde Ambiental no Brasil. Apaixonado pelo tema desde berço, é especialista nos serviços de saúde ambiental, com qualificação no Brasil e em países como EUA, Portugal e Índia. Já foi considerado Personalidade do Ano pelo seu empreendedorismo inspiracional.

Comments


bottom of page