top of page

A importância do planejamento de segurança de prédios e residências

Planejamento de segurança – A sensação de insegurança que temos atualmente em nosso país gerou conseqüências arquitetônicas nos prédios e residências de forma desestruturada e ineficiente, devido a necessidade repentina de aplicação de recursos de segurança, sendo esses implantadas de forma errada e ineficiente por serem tecnicamente mal aplicadas, interferindo diretamente na arquitetura de nossas cidades, principalmente nas capitais.

Esta sensação não foi gerada a toa, mas sim pelo constante aumento de assaltos a residências e condomínios, movimento ocorrido devido a migração de quadrilhas especializadas em roubo de bancos, uma vez que a classe dos bancos teve iniciativas de redução de circulação e manutenção de numerários em suas estruturas, obrigando dessa forma as quadrilhas buscarem valores onde tenham mais sucesso em suas ações.


Em menos de dois anos, foram inúmeros os casos onde quadrilhas suprimiram de condomínios residenciais de luxo, valores superiores a 10 vezes o que os mesmos conquistam em um roubo a banco.


Para compreendermos as causas dessa triste conseqüência e a forma de adequação a essa nova realidade, devemos fazer um retrato real e atual da criminalidade em nossa sociedade.


Atualmente nos encontramos no “CAOS SOCIAL”.


Esse termo pode ser alarmista, mas infelizmente é a dura realidade. Vivemos hoje num estado onde:


- a segurança pública está falida;

- o sistema penitenciário está em situação caótica;

- a instituição família vem perdendo sua essência;

- os princípios de moral e ética cada dia mais destorcidos;

- nossa legislação é falha e cada dia menos cumprida;

- temos a inversão de valores e da culpabilidade;

- o comércio ilegal de drogas e armas é livre e institucionalizado;

- a vida humana está banalizada com o crescimento constante de latrocínio (roubo seguido de morte).


Com a soma de todas essas carências, chegamos hoje a uma situação de IMPUNIDADE TOTAL.

O conhecimento dessa realidade é muito importante para compreendermos que para tratarmos de segurança, temos efetivamente que mudar nossos conceitos e aceitar a movimentação necessária para termos condições de desenvolver projetos e empreendimentos que possibilitem aos futuros moradores, condições de se proteger desse nível de criminalidade, onde os delinquentes não respeitam mais nem nossa própria polícia.


Quando tratamos de segurança, temos a tendência de achar que a simples instalação de recursos tecnológicos soluciona a segurança de qualquer ambiente, mas infelizmente a tecnologia é apenas mais uma ferramenta dentro de um sistema de segurança. Para termos um sistema de segurança preventiva, ou seja, que o problema cesse do lado de fora dos muros de uma residência, necessitamos de um planejamento estratégico, um projeto específico, aplicação de ferramentas como recursos, procedimentos de segurança e auditoria constante.


Os empreendedores atualmente buscam vender projetos onde segurança é um diferencial importante em seus materiais de divulgação e apelo de vendas, porém por não tratarem segurança de forma estratégica, desde a aquisição da área e da concepção dos projetos para os empreendimentos, não conseguem entregar segurança da forma que prometem a seus clientes, principalmente por carências de infra-estrutura que possibilitem ferramentas eficientes de segurança.


Um empreendimento que siga a tendência de mercado (onde temos atualmente diversas pesquisas mercadológicas que apontam o quesito “segurança” como um dos principais na avaliação dos consumidores para tomada de decisão na aquisição de um imóvel) deve ter um projeto estratégico de segurança, prevendo no mínimo um cenário de crescimento de criminalidade para 10 anos, atentando para aplicação futura de pontos estratégicos de instalação de recursos de segurança, considerando estruturas que possam aceitar futuramente blindagem e reservando espaços para ampliação de grades, muros, portões e outros recursos que se aplicam a segurança.


Novos desafios em planejamento de segurança

Essa atual realidade lança desafios aos novos empreendimentos os quais são proporcionar segurança as instalações com recursos agradáveis e não agressivos, adequando bom gosto, funcionalidade, conforto e segurança através da busca de novos elementos e o desenvolvimento de novos materiais para atender as novas necessidades do mercado.


É importante a consciência dos consumidores na avaliação de empreendimentos, sabendo discernir projetos que entreguem efetivamente segurança, dos que entregam meramente sensação de segurança. Esse reconhecimento é fundamental, pois a sensação de segurança é gerada pelo simples fato de implantação de recursos e ferramentas de segurança, o que na verdade são extremamente prejudiciais a efetiva segurança. Isto porque os delinquentes agem sobre dois preceitos: supremacia da força e efeito surpresa. Ou seja, quando temos a sensação de segurança, reduzimos o nosso nível de atenção por natureza e facilitamos sermos surpreendidos por assaltantes.


Sendo assim, cabe efetivamente aos arquitetos, construtores e empreendedores proporcionar recursos que possibilitem futuramente que residência e condomínios possam ter infra-estrutura estratégica de segurança, o que certamente evitará investimentos por parte dos consumidores depois da entrega das obras e poderão realmente estar protegidos em suas residências, o que hoje não é nossa realidade.


Por:

Gustavo Caleffi – Squadra Academy

Comments


bottom of page