top of page

Infestação por pulgas pode ter relação com outras pragas

Infestação por pulgas pode ter relação com outras pragas

Infestação de pulgas não deve preocupar apenas quem tem animais de estimação em casa. É que os parasitas sobrevivem nos lugares mais diversos, como depósitos de materiais, cinemas e ônibus.


Além do tamanho minúsculo, os insetos demonstram grande resistência: alguns podem saltar até um metro de altura! E nem mesmo uma faxina pesada é capaz de eliminar essa praga.


Mas, afinal, como saber se tem pulgas no ambiente? E o que fazer para eliminá-las?


As respostas vêm a seguir. Continue a leitura para aprender como funciona o ciclo de vida das pulgas. Saiba, ainda, o que é preciso para interrompê-lo.


Tipos de pulgas

Embora muito pequenas, as pulgas são fáceis de identificar. Todas as espécies têm corpo achatado e medem entre 1mm e 3mm.


Há centenas de tipos delas na natureza. Porém, na zona urbana, somente algumas despertam preocupação. Veja:


Pulgas de cachorro e pulgas de gato

A Ctenocephalides canis e a Ctenocephalides felis são chamadas de pulga do cão e pulga do gato, respectivamente. Mas ambas podem infestar qualquer animal doméstico, sem muita preferência.


Pulgas de rato

A Xenopsylla cheopis e Xenopsylla brasiliensis são mais comuns em roedores. No entanto, representam uma ameaça à saúde humana, pois são capazes de carregar microrganismos causadores de doenças.


Originalmente africana, essa espécie é encontrada em diversas regiões do mundo. Até mesmo no Brasil.


Pulgas em humanos

A espécie mais comum é a Pulex irritans, que ataca tanto humanos quanto cães e gatos. Do ponto de vista sanitário, esse é um tipo inofensivo, pois não transmite doenças. Ainda assim, a picada causa coceira e pode levar a reações alérgicas.


Aqui vale mencionar uma diferença entre pulgas e piolhos. As saltadoras não se agarram ao cabelo ou à pele da vítima. Dessa forma, elas logo caem no chão – o que, aliás, contribui para piorar as infestações, como veremos daqui a pouco.


Doenças transmitidas por pulgas

As criaturas saltitantes causam muito mais que coceira. Elas podem carregar bactérias e protozoários, sendo transmissoras de diversas doenças. Por isso, você deve agir rápido para impedir transtornos ainda maiores.


Tênias e zoonoses

Alguns desses insetos hospedam tênias e microrganismos que podem desencadear zoonoses nos pets. A Ctenocephalides canis e a Ctenocephalides felis, que infestam animais domésticos, são as mais perigosas nesse sentido.


Dermatites e alergias

A dermatite alérgica à picada de pulga (DAPP) é uma doença comum entre cães e gatos. Trata-se de uma reação à saliva do inseto, que é injetada no corpo do pet após a picada. O animal pode sentir coceira intensa, chegando inclusive a lesionar a pele. Em casos graves, também há falhas na pelagem ou queda de pelo.


Picadas de pulga podem desencadear reações alérgicas em animais domésticos.

Bartonelose (doença da arranhadura do gato)

Pulgas podem transmitir a bactéria Bartonella henselae aos felinos, sem sinais aparentes. Nesse cenário, uma pessoa que receba um arranhão ou uma mordida de gato infectado pode desenvolver febre e pontos de inchaço pelo corpo. Ainda que raro, não está descartado o risco de endocardite, uma inflamação no coração.


Tifo murino

Quando uma pulga pica um rato infectado, passa a carregar parasitas como a bactéria Rickettsia mooseri, causadora do tifo murino. Aí, se o inseto atacar uma pessoa depois, pode transmitir essa enfermidade, que é caracterizada por calafrios, dor de cabeça e febre prolongada (cerca de 12 dias).


Peste bubônica

Da mesma maneira, os roedores transmitem a bactéria Yersinia pestis, da peste bubônica. Ela causa dores no corpo, vômitos e febre alta.


Tanto a peste quanto o tifo são tratáveis com antibióticos. Para evitar a ocorrência delas, é crucial manter as devidas condições de higiene, impedindo que as populações de pragas cresçam desordenadamente.


Como saber se tem pulgas infestando o ambiente?

Infelizmente, as pulgas são tão pequenas que às vezes passam despercebidas. Sendo assim, você só se dá conta da infestação quando os ataques começam.


Os sinais de picada de pulga, em humanos e animais domésticos, incluem:


– Coceira intensa;


– Erupções na pele;


– Inchaço ao redor da ferida.


Conforme a praga se reproduz, fica mais fácil observá-la. Os locais com maior concentração de insetos são, justamente, as regiões onde os pets passam mais tempo. Pode ter infestação de pulgas no quintal, nos tapetes, no sofá e nas caminhas dos animais.


As parasitas também se escondem nas frestas do assoalho e nas costuras dos tecidos. Podem, ainda, estar nas roupas de um visitante. É por isso que infestam até mesmo residências onde não há cães nem gatos.


Pulgas podem ser sinal de infestação de outras pragas

Para piorar, as saltadoras vêm no corpo de outras pragas urbanas. Por exemplo, ratos costumam frequentar despensas, depósitos e outros cômodos com abundância de alimento. Se estiverem carregando pulgas, elas podem se instalar por ali.


Aliás, você sabe identificar os sinais de uma infestação por roedores? No link a seguir a gente mostra como acabar com ratos e ratazanas.


Pombos também são acometidos pelas sugadoras de sangue, mas não com tanta frequência. De qualquer modo, se um pássaro resolver fazer ninho no telhado, os insetos terão uma nova rota de entrada no prédio.


Por que é tão difícil acabar com uma infestação de pulgas?

Apenas 5% das pulgas que infestam uma área são adultas. Os outros 95% correspondem a ovos, larvas e pupas, que não são eliminados com inseticidas comuns.


Para você entender melhor, vale a pena explicarmos como funciona o ciclo de vida dessa praga. Acompanhe:


Ciclo de vida das pulgas

Pulgas são hematófagas, isto é, alimentam-se de sangue. A espécie mais comum é a Pulex irritans, que ataca humanos. Porém, as demais variedades têm outras predileções. Alguns desses bichos parasitam roedores, macacos, porcos, morcegos e até aves.



Em detalhe, a Pulex irritans, pulga que ataca humanos.

Quando o inseto adulto encontra um hospedeiro, começa o ciclo de reprodução. Ele deposita pelo menos 20 ovos por dia, que caem no ambiente. Após um período, que varia conforme a temperatura e o nível de umidade do local, as larvas eclodem.


Nesse estágio, elas se nutrem de fragmentos de pele, fezes de pulgas adultas ou outro tipo de matéria orgânica. Depois, criam um casulo de proteção, dando origem à fase de pupa.


Leva-se mais alguns dias até que o inseto atinja a maturidade. Então, estará pronto para atacar novos hospedeiros e recomeçar o ciclo.


As pulgas medem poucos milímetros, mas conseguem dar saltos de 30cm de altura. É dessa forma que se locomovem em busca de alimento. Elas também são extremamente resistentes, chegando a sobreviver 200 dias sem sugar


Como evitar (ou mesmo acabar) com uma infestação de pulgas

Como dissemos antes, os inseticidas de supermercado só atuam sobre pulgas adultas, sendo ineficazes contra larvas e pupas. Os xampus antipulgas aplicados em pets tampouco funcionam nas criaturas mais jovens.


Já remédio caseiro para pulgas é paliativo, agindo de modo muito sutil frente a infestações. Portanto, o tratamento para acabar com a praga requer medidas mais severas, integradas ao controle de outros invasores e à higienização do ambiente.


Agora, não pense que uma simples faxina resolve. Larvas e pupas são resistentes a produtos de limpeza, de maneira que os cuidados devem ser minuciosos.


Por exemplo, algumas pessoas acreditam que água sanitária acaba com pulgas, bastando apenas misturá-la a sabão para higienizar o local. Só que essa solução dificilmente atinge 100% de eficácia.


Veja o que realmente fazer para impedir a infestação de pulgas no ambiente:


Vete o acesso

Antes de tudo, tome cuidado para não carregar mais pulgas para dentro do imóvel. Se você vive ou trabalha numa propriedade rural, use roupas fechadas e repelente quando estiver no campo.


Cuide dos animais

Observe cães e gatos – não só os domésticos, mas os que circulam pela vizinhança. Caso estejam se coçando demais, ou mordendo partes do próprio corpo, podem estar infestados.


Passe um pente fino nos bichos de estimação para verificar a presença de insetos. Se houver, providencie o tratamento adequado. Um veterinário poderá prescrever medicamentos e cosméticos próprios para o peludo.


Use água morna

Você sabia que pulgas morrem com água? Por isso, lave caminhas, toalhas e brinquedos do seu pet com frequência. Deixe-os de molho em água morna (em torno de 60°C) para eliminar parasitas jovens.


Prefira o aspirador

O aspirador de pó é a melhor ferramenta para remover ovos e pupas de pulga. Passe o aparelho no piso, no carpete e nos rodapés.


Evite outras pragas

Instale barreiras físicas em telhados e parapeitos. Essa medida afasta pombos, que carregam parasitas e causam bastante sujeira nas edificações.


Em paralelo, mantenha a faxina em dia. O acúmulo de entulho e de restos de comida pode atrair ratos, que também são hospedeiros de pulgas.


Como funciona a dedetização de pulgas

Se todas as alternativas anteriores não forem suficientes para frear a invasão das pulgas, você deve chamar ajuda profissional. A desinsetização de quintais, canis, varandas e áreas internas será um procedimento indispensável.


Lembre-se: 95% das pulgas estarão nas formas jovens do ciclo evolutivo, vivendo em frestas e cantinhos de difícil acesso. Mesmo que você adote as medidas que sugerimos, não há garantia de controle total da infestação. E inseticidas comuns atingem apenas os insetos adultos.


Por:

Jefferson Hoffmann

Diretor da Desinservice, uma das empresas de maior referência no segmento de Saúde Ambiental no Brasil.

Comentários


bottom of page