Descarte de resíduos


A separação correta dos resíduos permite o recolhimento conforme a sua constituição (domiciliar – orgânico e rejeito – ou reciclável) e seu correto encaminhamento. Resíduos orgânicos são compostados ou encaminhados para o aterro sanitário. O rejeito também vai para o aterro sanitário. Ao separar corretamente, também se contribui socialmente para a geração de empregos e renda de trabalhadores formalmente organizados, já que 100% dos recicláveis recolhidos pela Coleta Seletiva são destinados às Unidades de Triagem.



O sistema de coleta de resíduos de Porto Alegre trabalha com a separação básica de resíduos, fazendo a coleta separada dos resíduos recicláveis e dos resíduos domiciliares (orgânicos e rejeito).

Para resíduos que não se enquadram nestas categorias, há pontos de entrega e incentivo à logística reversa. Veja vídeo sobre a correta separação de resíduos e a responsabilidade compartilhada, clicando aqui. Veja abaixo que resíduos são esses e como fazer o correto encaminhamento.

RESÍDUOS ORGÂNICOS

O que são: Resíduo de origem vegetal ou animal. Em média, metade do volume de resíduos gerado por um brasileiro é resíduo orgânico.

Exemplos: Restos de alimentos como carnes, frutas, cascas de ovos, ossos, sementes, erva-mate, borra de café e chá, cinzas e restos de vegetação.

Como encaminhar: O encaminhamento ideal dos resíduos orgânicos é a compostagem. Não tendo acesso a uma composteira, o resíduo orgânico deve ser colocado em embalagens de papelão ou sacos de papel. Também incentivamos o uso de sacolas compostáveis, caso nenhuma das opções anteriores seja uma alternativa. Estes recipientes devem ser encaminhados para os contêineres da Coleta Automatizada a qualquer hora, todos os dias da semana. Para os bairros não atendidos pelos contêineres, o resíduo deve ser embalado em uma sacola plástica, de até 100 litros, e disponibilizado nos dias e horários corretos da Coleta Domiciliar - recolhimento de orgânicos e rejeito.

Atenção: Há regiões da cidade que são atendidas pela Coleta Automatizada. Nestes locais, não há Coleta Domiciliar e os resíduos podem ser descartados nos contêineres a qualquer hora do dia, ao longo de toda a semana.

O que mais é possível fazer: Você pode diminuir ao máximo o desperdício de alimentos, compostar cascas e restos de alimentos e plantar as sementes.

Quer saber como fazer uma composteira caseira? Clique aqui. Para consultar os dias e horários da Coleta Domiciliar, acesse a pesquisa aqui.

REJEITOS

O que são: resíduos sem potencial de reaproveitamento ou que não possuam viabilidade técnica e financeira de reciclagem.

Exemplo: Lacres de iogurte, manteiga e requeijão, papel engordurado e sujo, absorventes, fraldas descartáveis, cotonetes, espuma, etiquetas adesivas, lã de aço, tecidos de limpeza, rolhas de cortiça, caixas de comidas engorduradas.

Outros materiais: Há iniciativas de destinação especial para alguns resíduos urbanos, como papel higiênico (usado em algumas experiências de compostagem), esponjas de louça (recicladas pela Terracycle), caco de porcelana (usado por artistas em trabalhos manuais) e bituca de cigarro (encaminhada para coprocessamento pelo projeto Poa Sem Bituca). Na impossibilidade de encaminhamento para alternativas de reaproveitamento, estes materiais devem ser encaminhados junto aos rejeitos.

Como encaminhar: Rejeitos podem ser encaminhados em sacolas plásticas de até 100 litros e entregues nos dias e horários corretos da Coleta Domiciliar. Nas regiões atendidas pela Coleta Automatizada, é possível descartar nos contêineres a qualquer hora ou dia da semana.

O que mais é possível fazer: Consumir de forma consciente.

Para consultar os dias e horários da Coleta Domiciliar, acesse a pesquisa aqui.

RECICLÁVEIS

O que são: Praticamente todos os materiais plásticos, de vidro, de metal e de papel limpo são reaproveitados. Entre eles, embalagens Tetra Pak, arame, baldes, brinquedos, caixas em geral, canos e tubos metálicos e em PVC, cobre, copos descartáveis, garrafas pet, latas de alumínio, raio-x, isopor, plástico filme, bisnagas plásticas de alimentos, clipes e borracha.

Como encaminhar: Retire os resíduos orgânicos das embalagens e acondicione o material em sacolas de até 100 litros. Os vidros devem ser embalados, evitando que se quebrem ou que machuquem alguém. Os recicláveis devem ser entregues nos dias e horários corretos da Coleta Seletiva. Para consultar os dias e horários da Coleta Seletiva, clique aqui.

Os caminhões passam pelo menos duas vezes por semana em 100% das ruas que comportam a entrada de veículos grandes. Em 19 bairros, a Coleta Seletiva ocorre três vezes por semana. Para quem não quiser esperar a Coleta Seletiva, há diversos Pontos de Entrega Voluntária de Recicláveis (PEVs) espalhados pela cidade. Clique aqui para acessar a lista dos PEVs.

O que mais posso fazer: Todo o material encaminhado para a Coleta Seletiva é manuseado pelos trabalhadores das Unidades de Triagem. Para evitar mau cheiro e contaminação de outros materiais, inviabilizando a reciclagem, deve-se retirar os orgânicos. Recomendamos utilizar o guardanapo da refeição para retirar o excesso de alimentos das embalagens. É possível ainda utilizar a água de enxague das louças, evitando o desperdício deste recurso natural, ou mesmo reaproveitar a água da máquina de lavar. Todos os materiais recicláveis passam por processos de limpeza e químicos quando chegam à indústria, não sendo necessária a higienização completa.

Além disso, para grandes geradores (condomínios com cerca de 50 apartamentos e empresas) é possível solicitar recolhimento de recicláveis personalizado. Para avaliar a possibilidade de incluir o local no cadastro de coleta especial de resíduos recicláveis, em que os caminhões da Seletiva recolhem os materiais dentro dos locais e não na rua, entre em contato com o DMLU pelo 156.

GRANDES VOLUMES

O que são: Móveis velhos, colchões, eletrodomésticos, entulho, caliça, madeira, cerâmica, sucata de ferro, tocos de árvores, pneus e diversos resíduos que não podem ser entregues às coletas Automatizada, Domiciliar e Seletiva.

Como encaminhar: Estes materiais devem ser levados a uma Unidade de Destino Certo - Ecoponto, que atende pequenos geradores. Mas atenção: as UDCs não recebem orgânicos, rejeitos e resíduos perigosos (lâmpadas fluorescentes, medicamentos vencidos, pilhas e baterias). Para saber onde está a UDC mais próxima, clique aqui.

Para quem não tem facilidade de deslocamento até uma UDC, o DMLU disponibiliza serviços de coletas pagas. O serviço Coletas Pagas não coletam caliça. Para solicitar orçamento, disque 156. O valor do serviço depende do bairro e da quantidade de resíduos a ser descartado. Saiba mais clicando aqui.

Há ainda o projeto Bota-Fora, que atende mais de 200 comunidades carentes duas vezes ao ano.

Além disso, o Mensageiro da Caridade recebe doações de todo tipo de material útil e que possa ser reaproveitado, telefone (51) 3223-2555 ou pelo e-mail mensageirodacaridade@mensageirodacaridade.org.

ÓLEO DE COZINHA

O que é: Por ser menos denso, o óleo de cozinha forma uma película sobre a água, o que provoca a retenção de sólidos, entupimentos e problemas de drenagem quando colocados em pias ou vasos sanitários. Nos arroios e rios, a película formada pelo óleo de cozinha dificulta a troca de gases entre a água e a atmosfera, causando a morte de peixes e outros seres vivos que necessitam de oxigênio. Além disso, o potencial de contaminação do óleo é imenso: 1 litro de óleo é capaz de contaminar 1 milhão de litros d'água.

Como encaminhar: Coloque o óleo de fritura frio em recipientes como garrafas de plástico ou vidro e leve até um dos mais de Postos de Entrega de Óleo de Fritura (PEOF) distribuídos pela cidade. Por meio de convênio com o DMLU, a empresa Ecológica recolhe o óleo destes pontos e encaminham o material para a fabricação de sabão, ração animal e combustíveis.

Para saber onde está o PEOF mais perto da sua casa, clique aqui.

ELETRÔNICOS

O que são: Computadores, CPUs, monitores, teclados, cabos, estabilizadores, celulares e eletrodomésticos obsoletos. Estes resíduos podem conter chumbo, bromo, mercúrio e cádmio, metais pesados perigosos com alto poder de contaminação.

Quando corretamente descartados, diversos componentes são reutilizados, evitando extração de recursos naturais e dando destino mais nobre aos equipamentos.

Como encaminhar: Além dos Ecopontos – Unidades de Destino Certo citadoss acima, Porto Alegre possui pontos fixos de recebimento de resíduos eletrônicos. Para saber mais, clique aqui.

PILHAS E BATERIAS

O que são: No Brasil, cerca de 800 milhões de pilhas são produzidas por ano. A maioria delas (80%) é constituída de zinco e carbono e, os outros 20%, são alcalinas. Nos dois tipos de pilhas há presença de mercúrio.

Como encaminhar: De acordo com a Lei municipal nº 9.851/2005, os comerciantes e redes de assistência técnica que distribuem ou comercializam pilhas e baterias, são obrigados a recebê-las de volta. Fabricantes e importadores também mantêm postos de entrega de pilhas e baterias em Porto Alegre.

Pesquise aqui o local de encaminhamento mais próximo.

LÂMPADAS FLUORESCENTES

O que são: São resíduos perigosos, pois possuem mercúrio em sua composição. A quantidade de mercúrio de uma lâmpada fluorescente é capaz de tornar contaminar cerca de 20 mil litros de água. Quando a lâmpada é quebrada há liberação de mercúrio na forma gasosa, o qual é neurotóxico, bem como de uma poeira fosforosa contendo vários metais pesados. Não somente esses aspectos conferem periculosidade às lâmpadas, mas também a utilização de óxidos de metais pesados e chumbo em revestimentos de componentes e soldas.

Como encaminhar: As lâmpadas fluorescentes queimadas devem ser envoltas em jornal ou papelão para evitar que se quebrem. Leve o material até a loja que a comercializou. Para comprovar a compra no local, guarde a nota fiscal. As empresas e redes autorizadas que as distribuem são responsáveis legais pela destinação final.

REMÉDIOS VENCIDOS

O que são: Pelo potencial modificador de estados de saúde humana e animal, os medicamentos são considerados resíduos perigosos e não podem ser descartados nas coletas regulares.

Como encaminhar: Os laboratórios farmacêuticos do Rio Grande do Sul, em cumprimento à Lei Estadual 10.099/1994, devem receber os residuais em retorno. Já a Lei Municipal 11.329/2012 garante a todo cidadão a devolução dos medicamentos vencidos às farmácias, que devem encaminhá-los a tratamento especializado.

SERINGAS

Como encaminhar: Leve o material acondicionado adequadamente a um Postos de Saúde. Jamais encaminhe para a coleta seletiva!

GESSO

Como encaminhar: Não é possível descartar nos Ecopontos. Porto Alegre possui uma empresa licenciada a receber gesso. Para mais informações, procure a Sebanella Reciclagem de Gesso: (51) 3051-2808 ou 3104-3297. E-mail: atendimento@sebanella.com.br ROUPAS Roupas não devem ser encaminhadas para a Coleta Seletiva! O Mensageiro da Caridade também recebe roupas. Por meio da doação de roupas, grupos comunitários assessorados e apoiados pelo Mensageiro da Caridade desenvolvem ações alternativas para empoderamento social de famílias, em situação de vulnerabilidade social, a partir de iniciativas que beneficiam diretamente sua reestruturação familiar e financeira. As roupas doadas para esses grupos são consertadas e/ou transformadas em almofadas, edredons, tapetes, cortinas e artefatos de utilidade doméstica. LIVROS Livros e revistas em bom estado de conservação não devem ser encaminhados para reciclagem. O ideal é doar os volumes para que outras pessoas tenham a oportunidade de ler. Porto Alegre possui iniciativas como o Livro Livre (saiba mais aqui) do DMLU e o Banco de Livros da Fiergs (saiba mais aqui).

RESÍDUOS ESPECIAIS – PESSOAS JURÍDICAS

A Equipe de Resíduos Especiais do DMLU auxilia na avaliação da periculosidade dos resíduos, bem como para sugestões em relação às destinações. Empresas interessadas devem entrar em contato pelo telefone (51) 3289-6985, de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h30 às 17h30.

Base legal: Lei Complementar 728/14 – Código Municipal de Limpeza Urbana:

art. 3º, IV – resíduos sólidos especiais aqueles que, por sua composição,

massa específica ou volume, necessitam de sistema de recolhimento diferenciado

ou tratamento específico, enquadrados da seguinte forma:

...

b) resíduos gerados em imóveis não residenciais oriundos de processos

rurais, comerciais, industriais ou de prestação de serviços;

...

Art. 33. O acondicionamento, a coleta, o transporte, o destino e a

disposição final do resíduo sólido especial, quando não regulado em contrário

nesta subseção, serão, obrigatoriamente, responsabilidade do gerador desse resíduo.

§ 1º O manejo de resíduos sólidos especiais deverá ser realizado

por empresas devidamente habilitadas para prestar tal serviço.

§ 2º Não é permitida a apresentação de resíduo sólido especial para

os serviços de coleta domiciliar regular e coleta seletiva.


Portal da Prefeitura Municipal de Porto Alegre

https://abrir.link/B69B2

21 visualizações0 comentário