top of page

Condomínio é parecido com empresa, e gestão pode ser aprimorada com o eSocial

Adaptação ao novo sistema é uma excelente oportunidade para evoluir do amadorismo para o profissionalismo; ignorar mudanças pode levar a multas


Todos os condomínios estão obrigados a enviar as informações trabalhistas, previdenciárias e tributárias ao governo federal pelo Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas (eSocial), uma plataforma que substituirá os documentos em papel e, também, passará a ser mais efetiva na fiscalização das obrigações sociais e trabalhistas.


O eSocial Empresas é um novo sistema de registro feito pelo governo federal com o objetivo de desburocratizar e facilitar a administração de informações.


O eSocial Empresas é um novo sistema de registro feito pelo governo federal com o objetivo de desburocratizar e facilitar a administração de informações.


O eSocial, de fato, é um avanço que traz mais inteligência, eficiência e segurança para os fluxos administrativos. Porém, demanda uma adaptação nas rotinas já estabelecidas e depende de investimentos. Por isso, muitos condomínios ainda não se alinharam à nova realidade, perdendo a oportunidade de aprimorar a gestão e correndo o risco de prejuízos com multas e sanções.


É importante destacar que o eSocial não é apenas a substituição do papel. O conteúdo também sofreu alterações e os dados que devem ser entregues ao governo não são mais os mesmos. Também ocorreram alterações em relação aos prazos.


As exigências de detalhamento foram alteradas e as ocorrências devem ser comunicadas com antecedência, o que exige mais organização e método. Para lidar com as mudanças, indiscutivelmente o condomínio precisa do apoio de um especialista para garantir a entrega dos documentos previstos, bem como a precisão dos arquivos digitais. Porém, além das questões técnicas, o eSocial deve ser visto como uma oportunidade de mudança de cultura.


A adaptação ao novo sistema é uma excelente oportunidade para evoluir do amadorismo para o profissionalismo, compreendendo que o condomínio é "parecido" com uma empresa. E ainda alinhado a uma nova realidade ESG (governança ambiental, social e corporativa, na sigla em inglês), com responsabilidade social e ambiental e comprometido com políticas de inclusão e de diversidade.


Essa transformação cultural, é claro, não se dá apenas entre gestores, colaboradores e prestadores de serviços. O engajamento dos moradores também é indispensável. Então, está claro que não existe mais espaço para administradoras mal preparadas.


Se você é síndico que ainda não entrou no século 21, está na hora de se mexer. Utilize o gancho do eSocial e promova a revolução que os seus condôminos esperam. Por isso, o mais apropriado é contar com o apoio de uma administradora. Quanto antes você começar, mais cedo colherá os frutos.


Lembrando que, pelo menos no caso do eSocial, não se trata de vontade, mas de obrigação. Se não realizar as mudanças de acordo com o prazo estabelecido, as multas chegarão. E o síndico, como responsável legal e direto, vai responder pelos erros decorrentes da má gestão.


Por:

José Roberto Graiche Júnior

Yorumlar


bottom of page