Acessibilidade em condomínios

Atualizado: Set 17

Quando pensamos em acessibilidade em condomínios, é comum focarmos na construção de rampas ou elevadores. Mas a acessibilidade vai muito além disso!


Para tornar o condomínio realmente acessível, é preciso observar uma série de medidas que garantam a inclusão de todos. Essas medidas fazem parte da Lei Brasileira de Inclusão (LBI), e ignorá-las consiste em privar o morador com necessidades especiais de seu direito de locomoção.

O Brasil possui cerca de 46 milhões de pessoas com deficiência (PCDs), que precisam de acessibilidade e inclusão em suas residências. Além de PCDs, as adequações também auxiliam as crianças, idosos, gestantes e pessoas com limitações temporárias de locomoção.

Confira as principais adequações segundo a NBR9050, da ABNT:

1 - Acessos e circulação:

Os pisos devem ter uma superfície regular, estável e antiderrapante;

É necessário haver rotas acessíveis, sem desníveis;

Os corredores de uso público devem ter 150cm de largura, e os de uso privado, 90cm;

As portas devem ser largas, permitindo a entrad